Mercados públicos: gastronomia e desenvolvimento socioeconômico

Os mercados públicos se consolidaram como áreas fundamentais na formação das identidades urbanas e para o desenvolvimento do comércio local. Pontos de encontro e convivência, desempenham papel estratégico de atração turística, além de exercer sua função de entreposto e facilitador das cadeias de abastecimento. O entorno dos mercados públicos costumam ser repleto de boas opções gastronômicas, que tanto proporcionam prazerosas experiências urbanas a seus frequentadores como ajudam a valorizar a cultura local. A Natureza Urbana conta com alguns projetos voltados à revitalização e à exploração das potencialidades dessas edificações e seus usos, como é o caso do Mercado Municipal de Porto Alegre e também o de Cotia, na Grande São Paulo.

Em Porto Alegre, o local conta mais de cem lojas de vários ramos de atividade, das quais quase um terço está desocupada e evidencia a necessidade de um novo modelo de funcionamento para voltar a ser palco de manifestações culturais, festividades religiosas, feiras temporárias e eventos que elevem seu potencial turístico e de criação de oportunidades de trabalho. Os comerciantes poderão contar com valores de aluguel decrescentes, de forma a manter quem já está e trazer novos operadores.

Já o Mercado Municipal de Cotia está localizado em uma área de intensa movimentação e diversas oportunidades. O projeto foi coordenado por um dos sócios da Natureza Urbana e o trabalho foi desenvolvido pela equipe da Natureza Urbana contratados pela IDOM. Para o planejamento, foi realizada uma análise da dinâmica territorial onde o mercado está inserido, em quatro escalas distintas, desde a escala macro da metrópole até a escala da edificação do mercado, abordando questões relativas ao lugar, ao perfil demográfico e aspectos econômicos do local de implantação, à mobilidade e às legislações aplicáveis.

Imagem: diagrama para o estudo de pré viabilidade do Mercado Municipal de Porto Alegre

Próxima notícia