Centro Comercial e Praça Pública em Atins

ATINS – MARANHÃO

Nova centralidade em Atins

O centro comercial e praça foi concebido como um espaço público central para o vilarejo, com usos diversos, incluindo áreas de convívio, lojas, bares, restaurantes, espaço para eventos e serviços. Os usos com maior rotatividade e perfil comercial estão posicionados ao longo da fachada principal, enquanto os espaços de maior permanência, como restaurantes, bares e áreas públicas de convivência, estão localizados internamente.

O projeto está situado em Atins, um pequeno vilarejo do Município de Barreirinhas, localizado em uma área de grande sensibilidade ambiental, entre o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, o delta do Rio Preguiças e o Oceano Atlântico. O vilarejo tem como marca as ruas em areia, a arquitetura vernacular, a pesca tradicional e o turismo.

legenda: 1) diversidade de usos; 2) conexão entre usos; 3) conceito de ocupação e usos.

A distribuição dos usos no terreno considerou seus condicionantes ambientais, como a presença de vegetação e das áreas alagadiças. O resultado foi a criação de pátios internos e espaços de convivência, que conectam os usos propostos.

Respeitando o contexto ambiental e social do vilarejo, o projeto propõe uma releitura da arquitetura vernacular local, utilizando materiais como palha de carnaúba e madeira. Esta abordagem combina elementos tradicionais da arquitetura local com novos princípios, como modularidade e pré-fabricação, e uma linguagem contemporânea.

O projeto adota um módulo mínimo pré-fabricado (3,5×3,5m), que pode ser agrupado de acordo com a demanda do uso, o que também facilita o faseamento e a expansão do projeto. Os módulos são conectados por passarelas suspensas, minimizando o impacto no terreno natural.  

Cada módulo mínimo possui uma estrutura em madeira engenheirada suspensa do solo, fechamento em painéis de madeira e cobertura de palha de carnaúba.

Em resposta às mudanças climáticas e à necessidade de reduzir o impacto da construção civil, utilizamos uma abordagem low tech, com tecnologias tradicionais e de baixo impacto e estratégias passivas, em respeito às condições geográficas e bioclimáticas de Atins.