Eixo Monumental de Maringá

Maringá – Paraná

Eixo vivo

Eixo Vivo é o projeto de reestruturação do Eixo Monumental de Maringá que busca recuperar a vida urbana e a unicidade da área central da cidade. Atua como um impulso que possibilita a criação de uma identidade e promove oportunidades distintas de interação e apropriação do espaço público, potencializando a articulação do território da cidade ao configurar um panorama de desenvolvimento, inclusão e conservação, por meio de proposições e estratégias capazes de potencializar a estrutura existente e ao mesmo tempo preservar a memória local.

A proposta valoriza a essência do eixo como espaço público. Inverte-se a lógica de ocupação do ambiente urbano: o projeto desperta uma costura do espaço atual, ressaltando o protagonismo do pedestre no território e a experiência do usuário ao permear este lugar que oferece encontros, conexões e relações dinâmicas e afetivas com a cidade. Partindo da perspectiva do usuário, o desenho urbano desenvolve-se como plataforma que sustenta e revela as diversas potencialidades do local.

Maringá é um município reconhecido pela qualidade de seu desenho urbano, com suas avenidas largas, ruas arborizadas e predominância dos espaços verdes. O eixo monumental conecta espaços expressivos no sentido norte-sul do centro da cidade.

A estratégia projetual parte de uma abordagem em três camadas de atuação: “paisagem viva”, que recupera a memória agrícola do município e incorpora a natureza além da contemplação visual; “mobilidade”, transformando o eixo totalmente em um espaço para pedestres, invertendo a hierarquia atual da predominância de veículos; e “infraestrutura ativa”, que abre espaços para maior interação com o espaço público e relaciona os equipamentos, sistemas, tecnologias e demais elementos à experiência do usuário no lugar.

O eixo é composto por trechos de diferentes características. O programa proposto dialoga com a vocação preexistente de cada local e com seu entorno. Assim, ao longo do eixo as atividades acontecem voltadas ao diverso público, em diferentes horários do dia. Anfiteatro, quadras esportivas, pistas de skate, área de jogos, pistas de caminhada, jardins contemplativos, parque infantil, parque canino e quiosques são algumas das estruturas propostas.

A paisagem viva atua como importante agente de melhoria ambiental, consolidando um corredor ecológico que conecta o eixo a outras áreas naturais e verdes da cidade, além de criar espaços dinâmicos e fluidos capazes de entreter, alimentar, conservar, conscientizar, educar e proporcionar senso de pertencimento às pessoas.

Diminuir o protagonismo dos carros e transporte individual ao longo do eixo é uma das principais premissas do projeto. Foi proposta a pedestrianização do eixo, com remanejamento das vagas de estacionamento. O sistema de mobilidade proposto prioriza o transporte ativo, sendo adotadas estratégias de moderação do tráfego, proporcionando interações seguras entre os diferentes tipos de transporte presentes no espaço.

O sucesso do projeto está no envolvimento dos usuários com o espaço. Além da implementação de equipamentos e criação de novos espaços, compor estratégias de ativação auxilia no desenvolvimento de uma cidade orientada para pessoas. São exemplos de tais estratégias o desenvolvimento de diretrizes para normatização e fortalecimento de fachadas ativas dos estabelecimentos, a elaboração de um calendário de eventos e atividades e a criação de espaços flexíveis com possibilidade de abrigar usos diversos, gerando uma vibração adicional no espaço público.