Master Plan Turístico das Ilhas de São Nicolau, São Vicente e Santo Antão

CABO VERDE – ÁFRICA

Um olhar para o turismo nas Ilhas do Norte

Cabo Verde se destaca no turismo mundial, atraindo turistas que buscam por suas águas transparentes, paisagens cênicas, prática de ecoturismo e esportes náuticos, dentre outras características que o tornam tão especial. Os principais destinos turísticos são as ilhas Sal e Boa Vista.

No entanto, o Governo tem buscado descentralizar e diversificar o setor de turismo de Cabo Verde para reduzir o impacto nas ilhas mais visitadas, impulsionando o fortalecimento sustentável do turismo nas outras ilhas do país. O Governo recebeu da Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA) do Banco Mundial um crédito para elaboração de Projetos de Desenvolvimento Turístico que visam a criação das condições necessárias para aumentar o investimento e a diversificação dos produtos do setor turístico.

Este trabalho visa o desenvolvimento do Master Plan de turismo das ilhas do norte do país: Santo Antão, São Vicente e São Nicolau, coerente com o território e com as demandas socioeconômicas e levando em consideração suas particularidades, patrimônio cultural e natural, bem como as tendências do mercado nacional e internacional de turismo.

A cerca de 500 quilômetros da costa africana, as ilhas do Norte apresentam características predominantes e singulares que as tornam destinos rurais e turísticos por natureza. Sua proximidade e conexão marítima estimulam uma articulação ambiental e reforçam o caráter de complementaridade em termos de recursos turísticos e infraestrutura, configurando uma região estratégica voltada para o desenvolvimento turístico do país.

O trabalho envolveu uma etapa inicial relevante de compreensão de questões relacionadas à dinâmica do turismo na região; demanda turística nas ilhas; análise do inventário turístico, atrativos e infraestrutura turística das ilhas, bem como suas principais características e identificação das oportunidades e desafios para composição de novos roteiros ou fortalecimento de produtos existentes.

A construção da visão de futuro para cada ilha parte do cruzamento das análises, objetivando a definição de estratégias e planos de ação com base nas seguintes premissas: sustentabilidade, economia circular e turismo de experiência, priorizando oportunidades de engajamento do visitante com o local. Nas áreas de atuação estratégica são identificados os segmentos e produtos turísticos potenciais que direcionam às propostas, divididas entre ações e projetos.

As ações denotam caráter estruturante e criam o suporte técnico, político e gerencial para sustentabilidade do desenvolvimento das ilhas. Os projetos estruturam a visão de futuro. Ações e projetos se organizam em eixos temáticos, que se relacionam com a complexidade dos diversos pontos que são abordados na construção do Master Plan.

São exemplos de projetos o fortalecimento da governança local, a confecção de material para promoção do turismo, o desenvolvimento de programas de empreendedorismo e a capacitação em turismo de aventura, turismo histórico-cultural, gastronomia e outros. Além disso, o fortalecimento das festividades e artesanato local, apoio à criação de novas áreas protegidas, implantação de centros de acolhimento ao visitante, rede de mirantes, sinalização interpretativa, dentre outros.

O trabalho contempla o desenvolvimento do plano de implantação, que apresenta as atividades que norteiam a execução do Master Plan, indicando, além da estrutura de coordenação responsável pela implementação dos planos e projetos, modelos, priorização e cenários de implantação. Além disso, considerando a relação dos projetos com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas (ONU), foram desenvolvidos estudos de avaliação dos impactos socioambientais, socioculturais e processos de mitigação.