Masterplan de Hospitalidade Usina de Arte

ÁGUA PRETA – PERNAMBUCO

Integrando natureza, arte e história em experiências de hospedagem

A missão de ressignificar uma história marcada pela exploração agrícola agora materializa-se na fusão de educação, cultura, resiliência ambiental e empreendedorismo. A Usina de Arte, em aproximadamente 40 hectares, exibe obras de artistas nacionais e internacionais, harmonizando arte, natureza e arquitetura histórica.

Na divisa entre Pernambuco e Alagoas, surge um projeto disruptivo na cena da hospitalidade e turismo cultural. O território da Usina de Arte, ligado à história desde 1929, redefine-se como um Parque Artístico-Botânico desde 2015.

legenda: 1) “Diva” – Juliana Notari; 2) “Conversadeiras” – Claudia Jaguaribe; 3) “Tinha que acontecer” (cabeça de bandeirante) – Flávio Cerqueira; 4) “Paisagem” – Regina Silveira; 5 e 6) Usina. Fotos: Acervo Usina de Arte

Contudo, a crescente atratividade cultural revelou uma lacuna na oferta de acomodações, limitando as experiências dos visitantes. Assim, nosso escritório empreendeu um Masterplan centrado na criação de uma experiência única, fundindo a proposta de hospitalidade inseparável do lugar, o conceito de arquitetura “site-specific”.

A visão de futuro é tríplice:

  • Natureza em Regeneração: Projetos de recuperação ambiental integram-se à hospitalidade, restaurando áreas degradadas pela antiga monocultura de cana-de-açúcar.

  • Memória Histórica: Obras de arte dialogam com edifícios históricos, entrelaçando o contemporâneo com o passado, proporcionando aos hóspedes uma imersão única.

  • Obras de Arte em Contínua Atualização: Um acervo dinâmico e em expansão perpetua a experiência artística, mantendo a Usina de Arte como um destino sempre renovado.

A operação hoteleira se desdobra em duas modalidades inovadoras:

  • Residências Históricas Ressignificadas: Intervenções artísticas e renovações transformam as antigas residências na área da Usina em casas de aluguel, proporcionando uma experiência de hospedagem imersiva integrada a história e cultura locais.

  • Cabanas Integradas à Natureza: Novas edificações, mimetizando a paisagem, oferecem acomodações modernas e sustentáveis, utilizando materiais locais e técnicas adaptadas ao contexto, minimizando o impacto ambiental.

Além destas, as propostas ainda incluem a criação de áreas comuns associadas à operação hoteleira, implantadas de forma a integrar todas as edificações (existentes e propostas). Entre elas, estão os espaços para café, spa e tanques de banho, deck e piscina naturalizada, trilhas rústicas de interação com corpos d’água, decks e mirantes integrados ao lago e restaurante e loja na transição dos espaços privativos para o Jardim.

A viabilidade econômica foi cuidadosamente modelada, integrando receitas provenientes de museu, atrações e hotelaria. Estratégias foram delineadas para atrair turistas regionais, nacionais e internacionais, destacando o diferencial da Usina de Arte no mercado.

Assim, o Masterplan abraça a singularidade da região, estabelecendo um novo paradigma na interseção entre arte, natureza e hospitalidade, solidificando a Usina de Arte como um destino turístico ímpar no Nordeste brasileiro.