Museu Porta-Aviões

RIO DE JANEIRO

Um melhor uso para um navio de guerra

Construído na França entre 1957 e 1960, o porta-aviões NAe (Navio-Aeródromo) São Paulo chegou ao Brasil em 2001, ocupando o posto de navio capitânia da Marinha do Brasil. No entanto, o NAe foi desativado em 2017, aguardando por uma outra destinação.

O projeto objetivou a realização de estudos para proposta de implementação de um museu marítimo flutuante nas dependências do navio. Foi realizado um diagnóstico da estrutura atual do navio e os espaços que poderiam ser destinados à visitação, chegando à proposição do programa de usos, da dinâmica de visitação e da estimativa de custos para implantação e viabilidade da proposta.

Atualmente o navio está atracado na base da Marinha na Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro. Foram realizados estudos de localização para o novo museu, analisando sua relação com o contexto urbano, usos existentes e complementares no entorno, facilidade logística, facilidade de acesso e proximidade a serviços e outros equipamentos culturais da cidade.

legenda: 1) elevador avante; 2) praça de máquinas; 3) engrenagens traseiras; 4) camarotes e refeitórios; 5) hangar; 6) praça de armas; 7) pista de pouso e decolagem; 8) engrenagem âncora e camarotes.

Dentre os espaços identificados como visitáveis no porta-aviões, estão os conveses onde se encontram diversas salas e estruturas do navio, a pista de pouso e decolagem e a cabine de comando.

São sugeridos dois tipos de visitação, de acordo com o nível de aprofundamento que o visitante espera: a visita autoguiada e a visita especializada, esta última guiada para pequenos grupos que queiram se aprofundar nas instalações do porta-aviões, sendo possível acessar outros espaços da embarcação, diferentes dos propostos na visita autoguiada. É proposto um sistema de circulação baseado num sistema de orientação por blocos, sinalização e cores.

Os usos potenciais identificados abarcam usos expositivos, como salas de exposição, salas interativas e multimídia, exposição de aviões; áreas de apoio, como café, restaurante, loja; usos específicos, como auditório e espaço de eventos, espaço para observação e atividade astronômico; além de serviços como bilheteria, informações, receptivo e sanitários.