Praça José Carlos Burle

SÃO PAULO

Espaços vivos

A Praça José Carlos Burle é um bosque quase escondido entre as ruas e travessas da Vila Madalena, em São Paulo. Ao adentrar em seus caminhos, fauna e flora se revelam como um respiro da cidade. Seu terreno em desnível é um dos desafios para o aproveitamento máximo de seu potencial de ocupação e poucos investimentos em infraestrutura sem acolher a todos que passam por ali e que desejariam desfrutar mais da praça.

O estudo busca identificar oportunidades para implementação de melhorias na praça, abarcando um diagnóstico propositivo que aproximou o interesse dos moradores locais, se tornando um ponto de partida para o desenvolvimento de um projeto de engajamento da comunidade para implementação de intervenções e atividades na praça, envolvendo uma série de atores e colaboradores e movimentando uma rede para tornar possível a materialização dos diversos sonhos e interesses da comunidade em relação à ocupação do espaço público.

Com entorno predominantemente residencial e com a presença de alguns serviços, a praça faz limite com uma escola municipal, além de estar próxima de mais outras três escolas (a cerca de 200 metros de cada uma).

A praça atualmente possui uma quadra com usos bastante ativos, um parquinho infantil, uma área de estar com mesas e bancos e uma academia de ginástica ao ar livre. Os equipamentos existentes são bastante usados pelos moradores e para atividade da escola limítrofe, porém percebe-se que o potencial da praça é subaproveitado.

Ao longo do estudo foram realizados encontros e oficinas com os moradores e atores locais, promovidos por próprios grupos atuantes na região. Desse movimento foi possível coletar sonhos, oportunidades existentes e desejos da comunidade.

1) passeio entre as árvores; 2) atividades esportivas; 3) brinquedos criativos para as crianças; 4) encontros na praça; 5) atividades de relaxamento; 6) preservação e conservação ambiental; 7) espaços de piquenique; 8) permacultura, hortas e jardins
1) espaços de estar; 2) atividades; 3) reforma da quadra; 4) permeabilidade através do passeio; 5) estruturas lúdicas relacionadas à topografia; 6) área de estar, mobiliários e quiosques; 7) decks de estar integrando desníveis; 8) maior permeabilidade entre a praça e a escola; 9) reforma do parque infantil; 10) melhoria do percurso

A identificação dos sonhos permite organizar os espaços da praça em áreas de “Atividades” e de “Estar e Encontros”. São propostas soluções para melhoria na acessibilidade dos caminhos,  integração dos desníveis com deques e estruturas lúdicas, ampliando os espaços para realização de atividades diversas na praça, melhorias no mobiliário; reforma nos equipamentos existentes e criação de jardins de contenção do terreno, hortas e paisagismo.