Requalificação Urbana de Praças

São Luís – Maranhão

Acupuntura do Centro Histórico

Em 1997 o centro histórico de São Luís foi declarado patrimônio cultural da humanidade pela UNESCO. Por meio da Secretaria de Projetos Especiais – SEMPE, foi lançado o Programa de Revitalização do Centro Histórico da capital do estado do Maranhão, com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A requalificação de praças e largos foi contemplada pelo projeto, buscando a readequação desses espaços públicos para maior integração da vida social e resgate de seu sentido arquitetônico e cultural.

Nesse contexto, foram elaborados projetos básicos, executivos e estudos socioambientais para as Praças da Saudade e da Misericórdia visando a ordenação e estruturação desses espaços urbanos com acessibilidade universal e melhorias na urbanização, paisagismo, iluminação, mobiliário, instalações, drenagem, pavimentação, sinalização e outros elementos, proporcionando a criação de condições para sua apropriação pelos moradores do entorno e também por visitantes e turistas.

As praças estão localizadas na zona central da cidade, não muito distantes uma da outra, conectadas pela Rua do Norte. Apesar de próximas, elas apresentam características bastantes distintas entre si.

A Praça da Misericórdia, uma das mais antigas da cidade, tem seu desenho original preservado e tombado a nível estadual. A Praça da Saudade, famosa pelo comércio de flores, é palco de festas populares e é atendida por quiosques diversos.

Os projetos partem de um conceito em comum que contempla aspectos relevantes em relação aos problemas levantados na fase de diagnóstico, buscando a adoção de soluções, técnicas e materiais resistentes, responsáveis e viáveis ambiental e financeiramente; integração do projeto às premissas de valorização cultural e paisagística, educação ambiental e criação de espaços de convívio e lazer; ordenação espacial e paisagística; novas construções que se relacionam com o entorno; e versatilidade da proposta permitindo que as soluções sejam replicadas em outras praças de São Luís compondo uma rede de espaços livres públicos qualificados para moradores e visitantes.

A proposta para Praça da Misericórdia busca restaurar a imagem figurativa do espaço, valorizando-o como ponto focal e nodal ativo até os dias de hoje, analisando os elementos funcionais da passagem do tempo e buscando compreender como ele contribui para valorar ou fragmentar o bem patrimonial. Eventuais acréscimos, perdas e novas inserções foram analisadas criticamente, buscando reintegrar a praça ao entorno consolidado no contexto atual.

legenda: 1) Fragmentação espacial; 2) Realocação das vagas; 3) Vagas acessíveis; 4) Valorização do eixo histórico; 5) Comércio de flores; 6) Área para foodbikes; 7) Arquibancadas e estar; 8) Área para locação de palco; 9) Horta comunitária; 10) Novo parque infantil; 11) Novos quiosques; 12) Paisagismo com espécies nativas.

Na Praça da Saudade, a condição preexistente de fragmentação do espaço foi solucionada com o deslocamento da passagem da rua, considerando a praça como território único ao priorizar a escala do pedestre e a integração dos usos, valorizando seus aspectos históricos. Para a cobertura dos quiosques, propusemos um sistema estrutural em madeira laminada colada, produzido de maneira industrial, delineando espaços de estar cobertos que amparam eventos e apresentações.

legenda: 1) Situação preexistente; 2) Melhorias no entorno e novas faixas de pedestre; 3) Realocação das vagas; 4) Vagas acessíveis; 5) Manutenção do desenho original; 6) Restauração do monumento; 7) Abertura de novos caminhos; 8) Inclusão de novo mobiliário; 9) Novo parque infantil; 10) Novos quiosques; 11) Manutenção das árvores existentes.

A proposta para Praça da Misericórdia busca restaurar a imagem figurativa do espaço, valorizando-o como ponto focal e nodal ativo até os dias de hoje, analisando os elementos funcionais da passagem do tempo e buscando compreender como ele contribui para valorar ou fragmentar o bem patrimonial. Eventuais acréscimos, perdas e novas inserções foram analisadas criticamente, buscando reintegrar a praça ao entorno consolidado no contexto atual.

Triciclos e quiosques amparam o comércio preexistente. Os triciclos, feitos de materiais de alta resistência e sombreados por ombrelones, solucionam o conforto do comércio ambulante. Além do desenvolvimento do novo equipamento, o projeto abrange um programa de qualificação para os comerciantes e prestadores de serviço da praça.

Nas oficinas populares, realizadas paralelamente àquelas de coleta conjunta de dados com equipes de secretarias municipais, foram consolidados os programas de necessidades sobretudo no que diz respeito aos usos pretendidos e às necessidades dos comerciantes locais. As oficinas foram realizadas e guiadas pela equipe multidisciplinar do projeto.