Renova SP

SÃO PAULO

Urbanização de quatro assentamentos em São Paulo

O projeto foi desenvolvido no âmbito do Concurso Público Nacional de Arquitetura e Urbanismo RENOVA SP, lançado pela Secretaria Municipal de Habitação da Prefeitura Municipal de São Paulo, visando atender a 213 assentamentos precários na cidade de São Paulo. Parte da equipe da Natureza Urbana participou do projeto em parceria com a empresa espanhola IDOM Consultoria.

O projeto foi desenvolvido no Perímetro de Ação Integrada Ponte Baixa 4, que se encontra na subprefeitura M’Boi Mirim, distrito do Jardim São Luiz, sub-bacia do Córrego Ponte baixa. São quatro os assentamentos que fizeram parte do estudo: Jardim Felicidade, Jardim Ibirapuera, Jardim São Francisco de Assis e Jardim Santa Josefina.

O escopo do projeto contemplou o desenvolvimento dos programas de urbanização e paisagismo das áreas, projetos complementares (terraplanagem, pavimentação, geométrico, iluminação pública e outros); projeto de habitação social nas áreas de provisão (e plano de remoções para realocar as famílias em novas unidades quando identificada tal demanda); plano de urbanização de ZEIS, as Zonas Especiais de Interesse Social.

Segundo o Plano Municipal de Habitação, os assentamentos estudados possuem as seguintes características de atuação: Jardim Felicidade, demanda de urbanização e regularização, com 1.182 domicílio; Jardim Ibirapuera, demanda de urbanização, com 1.498 domicílios; Jardim Santa Josefina, demanda de urbanização e regularização, com 525 domicílios; e Jardim São Francisco de Assis, demanda de urbanização e regularização, com 381 domicílios.

legenda: 1) comercial (10 min de percurso); 2) institucional (10 min de percurso); 3) esportiva (10 min de percurso); 4) transporte (10 min de percurso).

Foram identificados dois tipos de centralidades: de maior escala, relacionadas às estações intermodais e estação de ônibus; e de menor escala, relacionadas a o comércio local e alguns equipamentos de educação. O raio de abrangência das centralidades foi definido a partir de 10 minutos de percurso a pé. Dessa forma, e em conjunto com outras análises, foi possível identificar a falta de cobertura e necessidade de novas centralidades, assim como identificar as zonas com maiores problemas de acessibilidade, elaborar diretrizes para a dotação de novos equipamentos e para a implantação de um sistema de mobilidade.

Centralidades e equipamentos de transporte
Hierarquia viária
Linhas de transporte público

Foi desenvolvido um sistema hierárquico de rede viária, diferenciando ruas de passagem das ruas de estar, favorecendo a mobilidade dos habitantes e potencializando a função social da rua como espaço de encontros e trocas. As novas centralidades se formam principalmente pela reestruturação do sistema viário.

legenda: 1) favela compacta; 2) abertura de rasgos; 3) implantação de novos edifícios e praças

Ao longo do diagnóstico foram identificadas as áreas de reassentamento, analisadas no plano de reassentamento geral do Perímetro de Ação Integrada. A criação de novas praças e edifícios nos locais foram propostas com o estudo do aproveitamento de áreas subutilizadas do entorno para criação de Habitação de Interesse Social (HIS) e novos equipamentos.

legenda: 1) jardim felicidade; 2) jardim ibirapuera I; 3) jardim ibirapuera II; 4) Jardim Santa Josefina/Jardim São Francisco de Assis.