Universidade São Caetano do Sul – Campus Barcelona

SÃO CAETANO DO SUL – SÃO PAULO

Universidade como um equipamento para a cidade

A necessidade de ampliação do Campus Barcelona parte da Universidade Municipal de São Caetano do Sul, em 2015, visando um melhor funcionamento e atendimento, não só à comunidade acadêmica, mas também à toda população que já utiliza ou que poderá vir a utilizar o campus.

O projeto fez parte dos estudos desenvolvidos no âmbito do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) lançado pela própria instituição de ensino superior.

O Campus Barcelona conta com uma área de mais de 25 mil m2 e apresenta uma situação favorável para a implantação e construção de nova edificação, pois apresenta uma área livre, com a presença de pequenas edificações que deverão ser demolidas e seus usos realocados.

Composto por sete edificações distintas, o campus atualmente é fragmentado. Nota-se a ausência de uma identidade arquitetônica entre as edificações e também com relação ao contexto urbano. O campus encontra-se murado e sem conexão com seu entorno imediato, o que pode ser contraditório no ponto de vista da segurança e exploração comercial do edifício.

A expansão do campus tem a função não só de abrigar novos usos, como de incorporar uma nova identidade visual ao local, promovendo maior integração com seu entorno imediato, permeabilidade visual e fruição do espaço público. São propostos dois blocos que agregam usos de características similares e que respondem às necessidades de restrição ou não de público. O térreo de uso público, como uma galeria aberta, consolida um eixo de passagem ao longo da porção mais estreita do terreno, criando um conector entre a cidade e o interior do campus.

1) Situação atual e área de intervenção; 2) Ocupação máxima; 3) Proposta; 4) Usos

Por se tratar de um terreno longilíneo e em formato de “L”, propõe-se uma volumetria linear na porção mais estreita e uma volumetria mais densa na porção mais larga, que abriga os usos que demandam grandes vãos e/ou permitem maior flexibilidade de planta, como teatro e biblioteca, podendo eventualmente ser acessados pelo público em geral. A conjunção entre a análise dos parâmetros urbanísticos, definição do programa de necessidades e dimensionamento resultou nos estudos de volumetria e distribuição do programa no terreno.

No térreo, usos de caráter público, com possibilidade de exploração comercial. O primeiro e o segundo pavimento apresentam usos internos da universidade e biblioteca, com caráter semipúblico e grande acesso ao público. O corpo do edifício abriga os usos de caráter interno e acadêmico.

1) laboratórios; 2) ensino; 3) administração; 4) biblioteca; 5) social/comercial